19 de outubro de 2009

Play-off de apuramento para o Mundial2010: Portugal defronta Bósnia-Herzegovina

A selecção da Bósnia apontou 25 golos nos jogos das eliminatórias

A selecção portuguesa de futebol vai defrontar a Bósnia-Herzegovina no "play-off" de apuramento para o Mundial2010, que se realiza na África do Sul, ditou o sorteio realizado em Zurique, na Suíça.
A primeira "mão" disputa-se a 14 de Novembro, no Estádio da Luz, em Lisboa, e a segunda quatro dias depois.
À custa de um ataque demolidor (25 golos em 10 jogos), a Bósnia-Herzegovina foi segunda da Grupo 5, ficando atrás da Espanha (com 10 vitórias), campeã europeia em título, mas, surpreendentemente, à frente de selecções mais conceituadas, como a Turquia e a Bélgica.
O ponto forte da equipa é o ataque, o mais concretizador entre as equipas que atingiram o "play-off" e o 4° melhor de toda a zona europeia de qualificação.
Edin Dzeko é a grande figura da selecção bósnia, treinada por Miroslav Blazevic, tendo apontado nove golos na fase de apuramento.
Mas não é apenas o avançado do Wolfsburgo que marca na equipa bósnia, uma vez que o seu companheiro de equipa e estratega Zvjezdan Misimovic apontou cinco golos e Zlatan Muslimovic quatro, este último em apenas 228 minutos.
Além das duas derrotas com a Espanha, a Bósnia-Herzegovina cedeu pontos apenas em dois outros encontros, ao perder e empatar com a Turquia.
O seleccionador português de futebol, Carlos Queiroz, encarou hoje com prudência o resultado do sorteio para o decisivo "play-off" de acesso ao Mundial2010, deixando muitos elogios à Bósnia-Herzegovina.
"Uma equipa que faz 25 golos em 10 jogos não pode ser uma equipa qualquer e isso é um dos factores que explica o motivo de estar nestes play-off", começou por afirmar Carlos Queiroz, em Zurique, palco do sorteio.
Queiroz comentou o sorteio que colocou a Bósnia no caminho de Portugal. "Vamos ter de nos preparar bem. Eles tem um ataque muito perigoso. Vai ser muito dificil mas para nós o Mundial já começou", disse o selecionador nacional.
"É preciso aceitar o sorteio e concentrar a energia no que são os factos. Serão dois jogos muito difíceis e com tensão emocional muito elevada mas temos de tomar iniciativa, atacar e ser positivos. Cá e lá".
Apesar das qualidades da formação bósnia, Carlos Queiroz mostra-se "optimista e confiante" num bom desfecho para a equipa das quinas, que tem jogadores "bem preparados para enfrentar a tensão e a pressão de uma eliminatória desta importância".
"O nosso Mundial já começou e ponto final. A partir deste momento já estamos a disputar a prova. Vamos para uma pré-eliminatória de entrada no evento. O que orienta tecnicamente a minha vida e o meu trabalho é levar Portugal ao Mundial", sublinhou o treinador português.
Carlos Queiroz aproveitou ainda para voltar a apelar aos adeptos portugueses para lotarem o Estádio da Luz, palco do primeiro jogo, marcado para 14 de Novembro, com o segundo jogo a ser disputado quatro dias depois.
"Espero que a Luz esteja completamente cheia para envergar a camisola número um", apelou.
Por seu turno, o técnico da Bósnia, Miroslav Blazevic, reconheceu que vai disputar uma das vagas ainda em aberto no Mundial2010 "frente a uma grande equipa", mas acredita nos trunfos do "orgulho nacional".
"O nosso percurso nesta campanha de apuramento foi excelente. Mas mais importante que o aspecto desportivo é a questão da identidade e o orgulho nacional de disputar um Mundial de futebol", frisou o técnico.
Blazevic, que em 1998 levou a Croácia ao terceiro lugar no Mundial de França, destacou a qualidade dos futebolistas lusos e considerou Portugal "favorito", mas deixou claro: "Nem sempre os favoritos ganham".
A selecção bósnia, que nunca defrontou Portugal, é a segunda menos cotada do "play-off", ao ocupar a 42ª posição do ranking da FIFA, à frente da Eslovénia (49ª) e atrás de Ucrânia (22ª) e República da Irlanda (34ª).
Os outros encontros são o República da Irlanda – França, Grécia – Ucrânia e Rússia – Eslovénia.

Sem comentários:

Publicar um comentário